Desrespeito, Arbitrariedades e Equívocos na nova gestão. Secretário da Sedur pisa nos servidores da SUOP e o Órgão emite Nota Pública

1
39

A SUOP – Superintendência de Ordem Pública da Prefeitura de Lauro de Freitas, que dormiu na SETTOP e acordou na SEDUR, vem passando por um total descaso. Órgão sem direção, o diretor foi exonerado sem nenhum aviso prévio, ou comunicado ao corpo de funcionários; não tem motoristas para os veículos parados e sem gasolina; não há funcionário designado ao setor de demolição; Assédio Moral por parte do Secretário e mais, a SUOP está prestes a perder a sua sede. Total desrespeito, arbitrariedades e equívocos na nova gestão.

Um verdadeiro Crime. A Reforma Administrativa lida pelo Presidente da Câmara naquele momento Rosalvo(REDE) e  aprovada pelos Vereadores, manteve a SUOP na SETTOP.  Só que a gestão publicou a SUOP na SEDUR contrariando decisão da Câmara de Vereadores. Peça ganha no Ministério Público, dado ao Crime absurdo de uma gestão que age de forma arbitrária e contrária a decisão unânime da Câmara, órgão competente.

Servidores Públicos cansados do péssimo tratamento dado pelo Secretário José Pires(SEDUR), acreditam que a Prefeita Moema Gramacho desconhece esse clima tirânico e Ditatorial que se instalou no Órgão e emitiram uma Nota Pública. Confira:

NOTA PÚBLICA

Quando começou a transição para a nova gestão, começou também a nova Reforma Administrativa. Sem que a categoria dos fiscais soubesse, a Suop iria ser extinta. Quando tomaram conhecimento desse desmando no dia 05.12.16, a categoria foi até a Câmara de Vereadores para acompanhar a sessão que foi lida, votada e aprovada, ou seja, a Suop continuaria da estrutura da Settop. Porém, para surpresa da categoria, a Administração/Executivo mudou o curso das coisas dizendo que ia fazer uma coisa e fez outra.

No mesmo dia foi publicada a Lei 1.671/16, art. 15, onde consta que a Suop passaria a fazer parte da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano Sustentável e Ordenamento do Uso do Solo – Sedur (ver fotos). A Administração agiu de má fé.

O que está por trás dessa gestão?

Tudo por interesse político, nada mais. O secretário que chegou agora, por não ser do Município, tem que ter a humildade de sentar com os fiscais que são os verdadeiros conhecedores da situação da Suop e discutir caminhos para melhorar, seguir em frente e não retroceder como parece ser até o momento! Desde que tomou posse só compareceu na Suop uma vez para conhecer o local, mas nunca se reuniu com os fiscais para saber como tudo funciona. Aliás, antes de tudo isso acontecer, tudo funcionava perfeitamente bem. A população está clamando pelos nossos serviços. Estamos de mãos atadas.

Querem a extinção da Suop, porém achamos que a Prefeita não está sabendo dessa atual situação, já que as demandas de início da gestão do governo são diversas. Por que querem acabar com a Suop? Agora querem tirar nossa sede, conseguida e mantida com os nossos esforços e colocar a categoria numa salinha da Sedur? Ela é a menina dos olhos de alguém? De alguma Secretaria? Que interesse há por trás disso tudo?

Os fiscais estão sendo coagidos (assédio moral) a fazerem atribuições sem um responsável pela Fiscalização.
O novo Secretário demitiu os motoristas da escala ordinária, demitiu a recepcionista inviabilizando o recebimento de denúncias, tirou um dos carros e quis nomear duas fiscais através de CI para responder pela SUOP, atribuição essa que é exclusiva da Prefeita através de decreto e publicação no Diário Oficial. Acabou com a Poluição Sonora (atenção, paredões e eventos em residências!!! Podem abusar a vontade). A fiscalização de poluição sonora na Suop está impedida de trabalhar.

Quando a Poluição Sonora funcionava, diversas vezes os Fiscais foram acionados para verificar som alto no Sítio Nosso Cantinho, um local que funcionava sem autorização para realizar qualquer tipo de evento. Todas às vezes os Fiscais contaram com o apoio da PM e o apoio incondicional do GOE – Grupo de Operações Especiais da Guarda Municipal, homens treinados no combate a Poluição Sonora e que também foram proibidos de dar suporte aos Fiscais. No dia 15/01/17 um policial foi morto no Sítio Nosso Cantinho e só depois desse fato, resolveram tomar uma atitude. No dia 16/01/17, o Secretário da Sedur enviou uma SAF (solicitação de ação fiscal) diretamente para os Fiscais (ver fotos), solicitando a interdição do local. Mesmo sem a figura de um responsável para acompanhar a operação, o sítio foi notificado, autuado e interditado.

Em Lauro de Freitas existe um órgão responsável pelo recebimento de denúncias de Poluição Sonora através do número 153. Durante os finais de semana a quantidade de denúncias que chegam até esse órgão é muito grande e os Fiscais estão impedidos de atender. Como dizer à população que ela não será atendida?
Com a ida da Suop para a Sedur há o conflito de interesses. Como é que um setor que fiscaliza, também pode licenciar?

E por último, acabou a fiscalização do Projeto Verão, onde os Fiscais todos os finais de semana realizavam incursões em toda a orla de Lauro Freitas ordenando e orientando ambulantes. Existe um decreto em vigor para o Projeto Verão de ordenamento nas praias que não está sendo cumprido pela própria Administração que envolve o Trânsito, o Transporte, a Guarda Municipal e a Suop.

1 COMENTÁRIO

  1. Olá amigos lamento pela situação em que passa esses profissionais de fiscalização, pois eu trabalhei quatro anos com os mesmos e sei do comprometimento de cada um,fui diretor de divisão dá shop e sei das dificuldades do setor,a minha opinião sei que não canta muito é que a suop continue subordinada a Setop ajavista que o secretário é um militar portanto tem um maior conhecimento de causa e tem como estreitar mais a suop com os demais órgãos como guarda municipal e polícia militar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here